Guia completo para o bom desempenho na sua entrevista de mestrado e doutorado

entrevista de mestrado e doutorado

 

Congratulations! Você passou para próxima etapa do processo seletivo para o mestrado ou doutorado e, agora enfrentará a tão temida Entrevista…

Mas fique tranquilo, pois vou te mostrar o caminho para uma excelente entrevista, para que você possa transformar essa etapa em sua passagem Vip para o universo dos pós-graduandos.

Nesse artigo além de apresentar uma lista de perguntas com alto potencial de serem feitas, vou abordar o porquê de cada uma delas, pois acredito que essa compreensão te deixará mais seguro para preparar suas respostas e ser bem sucedido.

Aqui você vai descobrir:

  1. Diferentes formatos de entrevista de mestrado/doutorado.
  2. Principais perguntas feitas na entrevista de mestrado/doutorado.
  3. Perfil de candidatos que as universidades procuram.
  4. Nível de domínio de inglês necessário. É preciso ser fluente em inglês?
  5. Como se preparar para a entrevista de mestrado/doutorado.

Então vamos lá…

 

1- Qual o formato de uma entrevista de doutorado / mestrado?

 

O formato da entrevista pode variar de acordo com as universidades e áreas de pesquisa, porém, de modo geral, as entrevistas seguem um mesmo modelo e conhecê-lo é de suma importância para o seu preparo.  Por exemplo, pode ser:

  • Entrevista formal com uma banca de professores;
  • Entrevista formal com o seu futuro orientador;
  • Entrevista informal, como uma simples conversa, com seu futuro orientador, na cantina do campus, para discutirem sobre o seu projeto de pesquisa.

Outro aspecto que pode influenciar no formato da entrevista é o tipo de projeto para o qual você está se candidatando.

  • Projeto Pré-Definido.
  • Projeto Próprio

No caso de ser um projeto pré-definido, certifique-se de conhecê-lo com profundidade e durante a entrevista, exponha com clareza o que lhe atrai nesse projeto e o porquê da sua escolha.

Agora se você está propondo seu próprio projeto, deve mostrar, com embasamento teórico, a viabilidade e o potencial de pesquisa de seu projeto, bem como a sua paixão e entusiasmo pelo mesmo. Portanto, estude bem o seu projeto de pesquisa e aproveite a oportunidade para apresentá-lo com clareza.

E aqui “Fica Dica”:

É recomendável que você escolha um projeto de pesquisa que esteja alinhado com a sua experiência, seja ela profissional ou adquirida em uma iniciação científica. Pois esse conhecimento prévio, essa “bagagem”, tornará mais fácil explorar com profundidade o tema pesquisado.

Aprender uma nova área do início, ou seja, começar do zero, certamente será um pouco mais árduo, no entanto, também é possível.

É fato que, independentemente do formato da sua entrevista, formal ou conversa mais informal, você terá que participar de uma discussão sobre os seus interesses acadêmicos, conquistas e objetivos.

Inclusive alguns programas focam apenas nestes aspectos, uma vez que não exigem a apresentação de um projeto ou pré-projeto.

2 – Quais são as principais perguntas feitas em entrevistas de mestrado/doutorado?

 

As entrevistas para mestrado / doutorado com uma banca são geralmente feitas em pelo menos três partes:

  • Perguntas sobre você.
  • Perguntas sobre seu interesse acadêmico.
  • Perguntas sobre o seu projeto de pesquisa.

Perguntas sobre você:

Perguntas sobre você tem como objetivo conhecer um pouco você enquanto pessoa, por isso o entrevistador pode perguntar:

  • Quais seus pontos fortes e fracos;
  • Obstáculo que precisou ultrapassar;
  • Sobre sua família;
  • Planos profissionais de longo prazo.

Atenção: é importante que você seja “você mesmo”, seja sincero e direto, evite divagar muito fora do objetivo da entrevista que é entrar no programa de mestrado / doutorado.

Se você tem algum ponto fraco que pode impactar negativamente no seu desempenho ao longo do mestrado ou doutorado, mostre ter consciência do mesmo e que já tomou atitudes para superar essa dificuldade.  Por ex:

Dificuldade com o Inglês?

– Ação: Já se matriculou em um curso de inglês acadêmico com o foco em leitura de artigos científicos.

(Confira aqui nossos curso exclusivos de inglês para mestrado e doutorado)

Já em relação aos pontos fortes, é importante apresenta-los, sem arrogância, nem falsa modéstia, mas com humildade e sinceridade.

Falar sobre a superação dos obstáculos vai permitir à banca entender como você lida com o stress, com a pressão, como você se organiza e se estrutura para agir em uma situação de adversidade.

Ok, feitas as perguntas gerais sobre você, a atenção será voltada agora para o campo acadêmico e seu projeto de pesquisa.

Perguntas sobre seu interesse acadêmico.

Nesta etapa as perguntas ainda serão pessoais, porém voltadas para a academia. Portanto, o entrevistador ou a banca podem te perguntar:

  • Por que você quer fazer um mestrado / doutorado?
  • O que te interessou neste programa?
  • Quais experiências fazem de você um bom candidato?
  • O que você quer fazer depois de finalizar seu mestrado/doutorado?

Atenção: as perguntas devem ser tratadas com cautela e respondidas plenamente, ou seja, use esta oportunidade para mostrar todo o trabalho feito para chegar até aqui. Sua dedicação transparecerá nas suas respostas. Mas ao mesmo tempo, cuidado para não se alongar em detalhes que não acrescentam valor às suas respostas. Seja direto e sucinto.

Por fim, é comum que numa entrevista com uma banca de professores, eles perguntem se você tem alguma pergunta para fazer a eles. A melhor dica aqui é lembrar que a entrevista é uma conversa.

 

Esteja preparado para fazer perguntas inteligentes sobre o departamento ou a universidade. Não desperdice tempo com perguntas sobre requisitos básicos por exemplo.

Perguntas interessantes que você poderia fazer:

  • Existe a possibilidade de bolsas de estudos? Onde posso saber mais sobres os requisitos?
  • Existe a possibilidade de dar aulas ou de realizar monitorias?
  • Existe algum apoio para participação de congressos?
  • Algum aluno anterior já realizou algum estágio fora (sanduíche)? Tenho essa possibilidade?

Perguntas sobre o seu projeto em si

 

Se a entrevista for para o doutorado, é bem provável que você já tenha uma boa experiência de quando defendeu a sua dissertação de mestrado e já sabe o que é um projeto de pesquisas.

Mas se você está se candidatando para o mestrado, a banca e, possivelmente, seu futuro orientador do mestrado, sabe que você está no começo de sua vida de pesquisador, e que tem um longo caminho à frente.

Eles não esperam que você “domine todo esse universo”, neste momento, eles desejam saber se você não está completamente cru, se você sabe trabalhar sozinho, se entende minimamente o que é uma pesquisa, se já teve algum contato com bons artigos científicos e se tem força de vontade e capacidade para se transformar em um investigador.

 

Espera-se que o candidato seja capaz de apresentar pensamento crítico (ainda que simples), argumentos com respaldo em literatura científica relevante (ou seja; nada de “achismo”, sites de tipo wikipedia, livros de graduação, foque em artigos científicos)

Para que você converse com a banca com mais segurança, é importante conhecer um pouco esse novo universo acadêmico, procure ler alguns artigos científicos de interesse da área e conheça bem a estrutura deles (que costuma ser bem diferente da de um TCC da graduação).

Agora vamos falar do Projeto: A primeira coisa que você precisa saber é que para um projeto de alto nível e potencial você precisa usar “ingredientes” de alta qualidade, ou seja, artigos científicos (Papers) publicados em revistas (Journals) de preferência com conceito A na Capes (nacionais e principalmente internacionais).

Isso irá mostrar que você não tem medo do inglês, e que tem como objetivo desenvolver uma pesquisa de alta qualidade. Portanto use os artigos Tops para escrever seu projeto.

Estude seu projeto e se prepare para a entrevista, conheça a fundo (de olhos fechados) o seu projeto, organize mentalmente as justificativas importantes, os bons argumentos, quais dados devem ser utilizados, e suas possíveis conclusões.

 

Esteja preparado para explicar sobre suas escolhas, por ex:

  • Porque escolheria analisar seus dados utilizando a abordagem X ou ferramenta Y?
  • Porque você acha que esse tipo de análise é a mais indicada para o seu caso?

E já te aviso, não pode responder “porque eu quis, porque mandaram ou porque o autor fulano usou e eu copiei”. As razões sempre têm de ser devido a um caráter técnico mais adequado, que até pode ser tradição na literatura científica do campo, mas é importante você ter claro o porquê disso.

Também é importante estar preparado para perguntas como:

  • Qual a relevância e contribuição de sua pesquisa para o avanço da ciência nessa área de pesquisa?
  • Qual metodologia você está pensando em utilizar para responder sua pergunta de investigação?

 

Agora, se você já tem um orientador em vista, ou se pretende entrar em um projeto de pesquisa maior já em andamento, então procure utilizar em seu projeto as referencias principais usadas pelo seu futuro orientador ou usadas nos programas de pesquisa que você pretende fazer parte.

Dedique tempo lendo os trabalhos publicados pela equipe de pesquisas e principalmente os trabalhos ainda em andamento.

Confira as dissertações orientadas pelo professor que você deseja ter como orientador, assim poderá identificar no perfil do professor afinidades e, “ver se ele se encaixa” no seu perfil.  Também mostrará que seu projeto está alinhado à abordagem da linha de pesquisa do grupo e que não está “por fora” do assunto estudado e investigado no programa.

Bem, para isso você precisa procurar no lattes do professor os artigos que ele publicou que estão relacionados com o que você vai pesquisar. Identifique os autores que ele usou como base e leia-os também. Mostre que você quer agregar e não ser “uma pedra no sapato”.

3 – Qual o perfil de candidatos que as universidades procuram?

Os professores estão em busca de um perfil, não apenas relacionado com o conhecimento técnico, mas principalmente com o comportamento do aluno. O perfil mais procurado é do estudante disciplinado e proativo.

Sabemos que estudar para mestrado / doutorado não é fácil e exige muita dedicação, principalmente se você estiver trabalhando. Por isso, não estranhe se perguntarem quais dificuldades você antecipa encontrar durante o desenvolvimento do seu projeto e como pretende enfrentá-las.

De modo geral, a entrevista acontece para saber se você, candidato, realmente vai executar o que está propondo.

 

Também é interessante saber se o Programa de Pós Graduação que você pretende fazer parte, espera que o aluno, em algum momento, atue como assistentes de ensino. Se for esse o caso, esteja preparado para falar sobre suas experiências de ensino e por que você quer ser um professor acadêmico.

 

4 – Preciso ser fluente em inglês?

O universo acadêmico avança diariamente em artigos científicos, a maioria deles em língua inglesa. Os artigos científicos, livros de relevância acadêmica, pesquisas de ponta mais atuais são publicados em inglês, por isso é fundamental conseguir ler e interpretar artigos científicos em inglês. E, mesmo as revistas brasileiras (com os melhores conceitos da Capes) são hoje, em sua grande maioria, publicadas em inglês.

E não podemos ignorar que, as principais universidades exigem que você seja proficiente em leitura. Ou seja, você não precisa ser fluente na fala, nem saber escrever em inglês, mas na leitura de artigos científicosSIM!

Para facilitar esse processo, o que recomendamos é você focar somente em aprender a ler e esquecer (em um primeiro momento) outros aspectos do inglês, como conversação, escuta e escrita. Foque 100% em aprender a ler e se concentre somente nisso em uma primeira etapa, pois é o que mais vai te ajudar a economizar tempo quando precisar ler dezenas de artigos científicos em inglês.

Outra estratégia é estudar inglês focado na leitura de artigos científicos, e não o inglês tradicional (mais abrangente). Assim você já aprende aquilo que é recorrente nos artigos que terá que ler. Para entender como estudar com foco em leitura de artigo cientifico e aprendizado acelerado, conheça nosso curso exclusivo.

As provas de proficiência das pós-graduações estão aumentando o nível de exigência de leitura. Na prova não será pedido “um texto qualquer”, você terá que compreender trechos de artigos científicos, ou de textos avançados relacionados.

Conheça aqui nosso curso exclusivo para o exame de proficiência

A razão para a alta exigência das provas de proficiência deve à necessidade de ler com domínio os artigos cientifico em inglês, pois para desenvolver uma boa pesquisa é fundamental ter acesso aos melhores artigos, ao conhecimento de ponta, que se encontram nas revistas em inglês.

Neste artigo conversamos sobre vários aspectos que podem contribuir para o seu sucesso no momento da sua entrevista. Entender o motivo e objetivo das perguntas que serão feitas irá possibilitar que você dê responda de forma mais assertiva e não fique tão nervoso.

E, para fechar o tema deste artigo em alto estilo, organizamos para você uma lista das perguntas com alto potencial de serem feitas, compiladas no Guia de Perguntas para Entrevista de Mestrado/Doutorado que inclui esse artigo em Pdf formato ebook. Assim você poderá imprimir e reler com maior calma.

 

E, antes do desejo de boa sorte, conte para gente, aqui nos comentários, o que achou do Artigo e do Guia, e como ele te ajudou neste momento!

Compartilhe esse artigo com seus amigos.

Compartilhar é Multiplicar, Compartilhar é Retribuir!

 

Boa Sorte e Sucesso!

Forte Abraço

Prof. Tiago Ferreira e Equipe English Pós.

  • Share:

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Você pode utilizar atributos HTML como: <a href=""> <abbr> <acronym> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Send a Message